Dr. Allan Cézar comenta sobre transplante de córnea e cuidados com a visão no Podcast A Voz do Médico

Data de publicação: 10/06/2024

Dr. Allan Cézar comenta sobre transplante de córnea e cuidados com a visão no Podcast A Voz do Médico

No podcast semanal "A Voz do Médico", promovido pelo Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (Sindimed), Dr. Allan Cézar de Souza Luz, presidente da Sociedade de Oftalmologia de Sergipe, compartilhou informações importantes sobre transplante de córnea e cuidados com a visão. Especialista no assunto, dr. Allan destacou a importância da doação de córneas e alertou sobre os sinais iniciais que devem levar a uma consulta com um oftalmologista.

O médico enfatizou a necessidade de conscientizar a população sobre a doação de córneas, mencionando que a fila de espera em Sergipe é preocupantemente, longa. "Observamos estados com filas de transplante bem menores devido a campanhas constantes de conscientização", explicou. Ele elogiou o trabalho da Central de Transplantes e do Banco de Olhos de Sergipe, mas ressaltou a necessidade de campanhas contínuas para manter o número de doações elevado.

Entendendo a córnea

A córnea é o tecido transparente que recobre a parte anterior do olho, possuindo o maior poder refrativo. É através dela que focalizamos as coisas. A luz passa primeiro pela córnea, sendo essencial para a focalização. Quando a córnea sofre deformações, cicatrizes ou degenerações que comprometem sua transparência, sendo necessário o transplante. O dr. Allan comparou a córnea ao vidro de um relógio: "Se o vidro perde a transparência, precisamos trocá-lo. É aí que entra o transplante de córnea".

Cuidados com a visão

Ao perceber qualquer problema na visão, é fundamental procurar um oftalmologista para um diagnóstico preciso, alerta o especialista que identificou os problemas de refração, miopia, hipermetropia e astigmatismo como os mais comuns nos consultórios. Em idades mais avançadas, prevalecem a catarata e a degeneração macular relacionada à idade (DMRI). Problemas degenerativos nas córneas também surgem geralmente entre os 50 e 60 anos.

Ceratocone

Dr. Allan destacou ainda a doença ceratocone como uma das principais causas que levam à necessidade de um transplante de córnea, afetando muitos jovens. "O ceratocone é mais grave que a catarata ou glaucoma para mim, pois estamos falando de uma cegueira em pessoas jovens", afirmou. Ele relatou casos de pacientes de 12 a 15 anos com visão severamente comprometida, ressaltando a importância de diagnóstico e tratamento precoces para evitar que a doença avance.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico do ceratocone é feito através de exames específicos, como a topografia da córnea, especialmente em pacientes que apresentam aumento constante no grau dos óculos em curto período. Dr. Allan explicou que há métodos para fazer a doença regredir ou impedir seu avanço. No entanto, muitos pacientes chegam aos consultórios com a doença já em estágio avançado, às vezes até com cicatrizes.

Preocupações com consultas inadequadas

O especialista alertou para o perigo de consultas oftalmológicas realizadas em ambientes comerciais por profissionais não médicos, uma prática preocupante, especialmente para pacientes do interior. Ele enfatizou a necessidade de buscar atendimento com oftalmologistas qualificados para garantir um diagnóstico e tratamento adequados.

Para assistir à entrevista completa, acesse o podcast "A Voz do Médico" no canal do Sindimed no YouTube.