As negociações salarial 2019 com a Prefeitura de Aracaju não avançam e enquanto isso o prefeito privatiza as urgências municipais

As negociações salarial 2019 com a Prefeitura de Aracaju não avançam e enquanto isso o prefeito privatiza as urgências municipais
 
As negociações salariais 2019 com a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) foi o tema tratado na ‘Voz do Médico’ – o programa do Sindicato dos Médicos - na última sexta-feira, 7, que teve como entrevistado o diretor de Assuntos Jurídicos do Sindimed, Alfredo Andrade. De acordo com ele, as negociações salariais não avançam “Infelizmente não anda. Já estamos em junho e nada”, coloca o diretor que explica que conforme o Estatuto do Servidor Municipal, em seu artigo 42, parágrafo único, a data base para a concessão de revisão dos vencimentos dos servidores municipais, é até o dia 1 de abril.
 
Segundo Alfredo Andrade, já se passaram dois meses e o Prefeito não anunciou o reajuste. “Este é o terceiro ano consecutivo sem reajuste salarial, e nem a recomposição da inflação prevista na Constituição Federal (CF), foi dada ao servidor nesses três anos, mesmo com o aumento da receita líquida da Prefeitura de Aracaju nos últimos anos”.
 
A Mesa de Negociação criada pelo prefeito Edvaldo Nogueira, negocia apenas condições de trabalho, PMAQ, de acordo com o diretor do Sindimed. “Quando se fala em reajuste salarial, os gestores que participam da mesa, falam que não são com eles, e sim, com a Secretarias de Planejamento e de Finanças do Município, ficando o tradicional jogo de em empurra, empurra”, explica.
 
Privatização X Insatisfação
 
Enquanto os servidores ficam à míngua, “o prefeito Edvaldo Nogueira, mostrando que não sabe administrar, privatiza a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Nestor Piva, e não se preocupa com a população quando não aumenta o número de profissionais da saúde neste momento de superlotação, com pacientes doentes na urgências públicas de Aracaju, seja própria ou contratada como é o caso do Hospital Santa Izabel”, coloca o diretor, salientando que estes abnegados profissionais, estão preocupados com a superlotação, o que provoca insatisfação tanto dos usuários quanto dos profissionais.
 
Queixas
 
O Sindimed na última assembleia da categoria realizada no dia 4 de junho, recebeu inúmeras queixas por partes dos profissionais que trabalham no Santa Isabel, em virtude desta superlotação e das péssimas condições de trabalho em que lá se encontram. “Devido a superlotação os profissionais chegam a ser agredidos verbalmente e quase fisicamente”. Essa é a capital da qualidade de vida tão anunciada nas propagandas pelo Prefeito, fica a pergunta aos Aracajuanos?
 
 

© Copyright 2015 - Rua Celso Oliva, 481 - Bairro 13 de Julho - Aracaju - Sergipe - Fone: (79) 3211-7575 / (79) 99971-6742