RÁDIO SINDIMED A VOZ DO MÉDICO - EM BREVE.

PROGRAMAS ANTERIORES

MÉDICOS PARALISADOS FARÃO MANIFESTAÇÃO NESTA TERÇA-FEIRA, 15, NO HUSE

Objetivo é de cobrar do Governo do Estado uma resposta sobre a Isonomia Salarial dos Médicos do HUSE

Cansados das promessas e de esperar por uma resposta por parte do Governo do Estado sobre a Isonomia Salarial, os médicos das 13 especialidades que trabalham no maior hospital do Estado, o HUSE, farão uma manifestação de protesto na porta do hospital nesta terça-feira, dia 15, a partir das 7 horas. O objetivo é de cobrar uma resposta imediata para o pleito dessas especialidades que se arrasta desde do ano passado. Além do ATO PÚBLICO, os médicos estarão também paralisados por 24 horas.

Nas inúmeras reuniões feitas com o Governo do Estado, entre secretários e governadores (Jackson Barreto e Belivaldo Chagas), os gestores vem empurrando o problema com a barriga e os médicos só obtêm promessas, mas nada de concreto, em fase de resolver o problema criado por eles mesmos no que se refere à gratificação - em duas especialidades (Cirurgião geral e Cirurgia Oncológica) que chegam a diferenciar os salários em quase 100%, trazendo um acréscimo em torno de R$ 10 mil reais.

Os médicos de forma muito prudente - e pensando na população - vem tentado não entrar em greve apesar das diversas pautas das inúmeras assembleias que tem sido realizadas pelos especialistas. Porém, nesta terça-feira, 15, às 9 horas em frente ao HUSE, será realizada outra assembleia e dessa vez não está descartada uma possibilidade de uma paralisação por tempo indeterminado. Com a palavra o Governo do Estado.

Jogo de Empurra

O Sindicato dos Médicos vem fazendo a sua parte, cumprindo todos os trâmites necessários e que as negociações exigem; mas em contrapartida, o Estado não tem sido cortes com a categoria e nem cumpridora das suas falas. Nas reuniões com o então secretário Almeida Lima, ele disse alto e bom som, que o pleito dos médicos era justo e que o Estado, através da sua secretaria já havia feito um estudo sobre o impacto na folha de pagamento e que só estava esperando o aval do governador Belivaldo Chagas para implementar.

O chefe do poder executivo, por sua vez, em reunião com o Sindicato dos Médicos relatou que o ex-secretário não havia apresentado nenhum estudo, sobre o pleito dos médicos. E esse problema, já vem rolando desde 2017, com os médicos tentando negociar, mas sem êxito.Terça-feira passada, dia 8, os médicos se reuniram em um ato, em frente ao Palácio dos Despachos, mas não tiveram nenhuma sinalização por parte do Estado.

Almoço

O superintendente do HUSE, o médico Darcy Tavares já confirmou sua presença será na reunião-almoço das terças-feiras, às 13 horas. E no dia 22 de maio, será a vez do governador Belivaldo Chagas.

© Copyright 2015 - Rua Celso Oliva, 481 - Bairro 13 de Julho - Aracaju - Sergipe - Fone: (79) 3211-7575 / (79) 9971-6742